Notícias locais

13 de dezembro de 2019

Faturamento 2019


Varejo da região de Marília deve fechar 2019 com faturamento de R$ 15 bilhões, alta de 5%

O primeiro trimestre do ano de 2019 foi marcado pelo atraso na votação da Reforma da Previdência, o que também postergou o crescimento econômico esperado. Já no segundo trimestre os indicadores apresentaram melhoras graduais, que se estenderam ao longo dos meses. Assim, o varejo mariliense engrenou em um ciclo de consolidação de crescimento e deverá registrar elevação em 2019 próximo a 5%.  Isso significa uma expectativa de faturamento real das vendas de R$ 15 milhões.
No Estado, todas as regiões e segmentos analisados tendem a fechar o ano com dados positivos. Com destaque para os bens duráveis que devem apresentar alta de 8%, enquanto os semiduráveis e não duráveis podem registrar elevação em torno de 5%. Já o grupo de supermercados deve deixar a maior contribuição para o setor em 2019, registrando mais de R$ 244 bilhões de faturamento.
A estimativa é de que as nove atividades pesquisadas apresentem elevação no fechamento de 2019 em Marília, com destaque para lojas de móveis e decoração (36%); farmácias e perfumarias (21%); autopeças e acessórios (14%).
tabela1

Isso porque com as contas do governo um pouco mais equilibradas, as instituições financeiras investiram menos em títulos públicos e houve aumento nos recursos destinados à concessão de créditos para a compra de itens mais caros como imóveis e carros, o que movimenta os segmentos citados acima. Ainda, de acordo com os dados de setembro do Banco Central, os financiamentos aumentaram 12%. Junto a esse cenário, houve queda de juros e elevação na confiança de consumidores (6,1%) e empresários (0,6%) em novembro.

Expectativa 2020
Considerando esse cenário de 2019, a perspectiva para 2020 é positiva. O Sincomercio Marília e a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) avaliam que a inflação deve permanecer estável no próximo ano. Além disso, a tendência é que as vendas do varejo aumentem em 5%, com faturamento real de R$ 16 milhões.
tabela2

De acordo com as Entidades, a indústria, que estava atrasada, mostrou força no final do ano, o que influencia para que os demais setores comecem 2020 com bons números e prossigam no processo de consolidação do crescimento ao longo dos meses.
Para isso, espera-se que outras reformas importantes sejam colocadas em pauta e ao menos discutidas ao longo do próximo ano. Também se aguarda a redução de gastos públicos por meio de medidas que acelerem concessões e privatizações de empresas estatais que não proporcionam renda aos cofres do governo.
Essas ações serão muito bem vistas pelo mercado e por investidores, o que possibilitará a continuidade do desenvolvimento econômico e a retomada da modernização da infraestrutura do País, que é essencial para o crescimento do comércio.
Assim, a tendência, segundo o Sincomercio Marília e FecomercioSP é que as taxas de emprego avancem, caia o índice de inadimplência e o ritmo de expansão das vendas seja mantido.
Os empresários devem ficar atentos aos fatores externos como as eleições presidenciais dos Estados Unidos e a sua guerra comercial com a China, o que pode influenciar no preço de produtos importados desses países.

Voltar para Notícias